Pode-se considerar que o conceito de coaching surge, na modernidade, como habilidade de gerenciamento de pessoas, em 1950. A publicação do livro de Timothy Gallwey, The inner game of tennis, em 1974, é entendido por muitos estudiosos como o marco inicial do coaching enquanto disciplina e profissão. Mas o cliente pode perguntar: o que é coaching?

 Muitas pessoas vão buscar o atendimento de um coach sem ter muito claro o que significa esse processo. Quando o cliente busca o auxílio de um coach ele o faz por diversos motivos: para obter um resultado rapidamente, porque está passando por um momento de grandes mudanças, etc. Em geral, a mudança é um estado desejado pelo cliente: ele sabe onde está e sabe que não quer permanecer ali, ainda que essa percepção do cliente sobre si seja intuitiva ou inconsciente. O papel do coach é ajudar o cliente nesse processo de tomada de consciência de seu estado atual e de seu estado desejado. Quando isso acontece, então surgem as altas apostas. O coach estimula o cliente a apostar mais em si mesmo, a desafiar-se em busca de resultados cada vez melhores, a sair de sua zona de conforto e arriscar-se a conseguir algo maior do que aquilo que já se tem. 

Leonardo Wolk em seu livro “Coaching: a arte de soprar brasas” (2008) lembra que “o coaching é um processo bem definido, com início e fim, estabelecendo metas claras e determinando ações para alcançar os resultados desejados.” (pág. 12). 

Para mim, o coaching é um processo que ajuda as pessoas a materializarem seus sonhos. 

O que você fez hoje para alcançar seus sonhos? Se nada, venha fazer coaching! Comece hoje, pois o presente é a única realidade possível!

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

 

 

Página 10 de 10